MigraTI - Soluções em banco de dados

Guob 2017

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

ORA-01704: string literal too long

Tae hoje apanhei neste problema simples. =]

Então como minha decisão de criar este blog ser para catalogar conhecimento proprio decidi escrever aqui a solução para nunca mais esquecer.

Um campo long deveria permitir que você insira mais de 4000 caracteres, porem se vc tentar isto no sqlplus você irá receber este erro em tela.

ORA-01704: string literal too long

Conforme abaixo.

SQL> CREATE TABLE LANA.TESTE_LONG (
2 nr_linh NUMBER(5,0) NOT NULL,
3 ds_linh LONG NULL
4 );

Table created.

SQL> Insert into LANA.TESTE_LONG values ( 1,
2 '0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
3 00000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
4 ...
0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
39 00000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000');
'00000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
*
ERROR at line 2:
ORA-01704: string literal too long

SQL> SELECT COUNT(*) FROM LANA.TESTE_LONG;

COUNT(*)
----------
0


Para resolver este erro sugiro jogar o campo long para dentro de uma variavel e fazer o insert com a variavel conforme abaixo.


SQL> declare
2 ww_TEXTO LONG;
3
4 BEGIN
5
6 ww_texto :=
7 '0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
8 0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
9 0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
10
...
41 0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
42 0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
43 0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000';
44 45
46
47
48 Insert into LANA.TESTE_LONG values (
49 2,
50 Ww_texto
51 );
52 end;
53 /

PL/SQL procedure successfully completed.

SQL> SELECT COUNT(*) FROM LANA.TESTE_LONG;

COUNT(*)
----------
1

SQL>

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Jobs

Vou começar a postar algumas coisas sobre job's conforme vou me lembrando vou editando este post.

Desde já agradeço.

Para forçar a execução de algum job.
exec dbms_job.run(numero do job);

Para remover um job.
exec dbms_job.remove(numero do job);

Para colocar um job em Broken.
exe DBMS_JOB.BROKEN(numero do job,true);

Para retirar um job em broken.
exe DBMS_JOB.BROKEN(numero do job,false);
-- Aconselho a forçar a execução do mesmo.


Para alterar um job completo.
DBMS_JOB.CHANGE (
job IN BINARY_INTEGER,
what IN VARCHAR2,
next_date IN DATE,
interval IN VARCHAR2,
instance IN BINARY_INTEGER DEFAULT NULL,
force IN BOOLEAN DEFAULT FALSE);

-- Aconselho a utilizar o script abaixo.

Para recriar um job a partir de outro job.
set line 155
set feedback off
set pagesize 0
select 'DECLARE ' || CHR(10) || ' JOBNO INTEGER; ' || CHR(10) || ' BEGIN ' ||
CHR(10) || ' DBMS_JOB.SUBMIT(JOBNO, ''' || replace(WHAT,'''','''''') || ''',' || CHR(10) ||
'to_date('''|| to_char(next_date,'DD/MM/YYYY HH24:MI:SS') ||''',''DD/MM/YYYY HH24:MI:SS'')'||',' || CHR(10) || '''' || INTERVAL || ''');' || CHR(10) ||
'END;' || CHR(10) || '/'
from dba_jobs where log_user = upper('&log_user');
set line 132
set feedback on
set pagesize 14
/


Para alterar o what de um job.
exec DBMS_JOB.WHAT(numero do job,'novo what');


Para alterar a instance de um job.
exec DBMS_JOB.INSTANCE(numero do job,'instance');


Lembrando que todos os comandos foram escritos como se você fosse o dono do job.
Caso você não seja o dono do job você terá de efetuar a seguinte sintaxe.
exec sys.dbms_ijob.comando...
exemplo:
exec sys.dbms_ijob.run(numero do job);


Conforme comentei acima. Se eu for lembrando de outros comandos vou editando este post.

Desde já agradeço.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Export em Memória.

Bom desde que eu resolvi descrever meus conhecimentos aqui no blog eu tinha em mente um dia escrever esta tecnica q por sinal nos ajuda e muito resolver problemas em ambientes que não tenham espaço em disco.

Como a correria do dia a dia esta complicado encontrar tempo de descrever corretamente todos os passos. Então vou pegar emprestado os passos do rafael Stoever para não ter de digitar tudo, até o porque aprendi esta tecnica mais a fundo lendo este artigo do blog dele. Segue abaixo o post completo, caso você queira ler o post direto da fonte clique aqui

Bom uma prática do tempo do Unix 32bits na hora de fazer export ou import utilizar um recurso para descompactar ou partir os arquivos na hora que eles estao sendo criados. É +/- isso ai mesmo.
No momento que tais fazendo um exp system/senha full=y file=/backup/expfull.dmp este arquivo pode mtas vezes ter centenas de gigas, mas compactados podem ficar com pequenos megas.
Bom muito DBA nos seus scripts de backup no Linux ou Unix fazem esse export e dps passam um gzip expfull.dmp para compactar ai mora outro problema, o gzip compacta mas se o arquivo dmp ficou com 20Gb e o .gz for ficar 4Gb no total vai ter que ter pelo menos de espaco livre uns 24,5Gb para essa maratona toda ai.....
Mas como eu estava dizendo há uma forma mais simplificada nisso tudo ai, como o unix ou linux todos os arquivos sao concatenados, é o termo nao é bem esse mas é algo assim, entao no momento q estou criando um arquivo posso estar pegando a informacao de dentro dele e jogando para outro lugar.
bom para nao enrolar mto vou fazer um exemplo que ficará mais fácil de enteder.

1. Tens que criar um arquivo temporario, é .... aquele que eu disse que vai ser alimentado mas vai ser jogado o seu conteudo para outro
[oracle@localhost oracle] mknod /tmp/exp_pipe p # criando um arquivo para o export
[oracle@localhost oracle] gzip < /tmp/exp_pipe > /backup/expfull.dmp.gz & # gzip recebendo a informacao do exp_pipe e a saida do gzip está sendo para /backup/expfull.dmp.gz já compactado e o & quer dizer em segundo plano
[oracle@localhost oracle] exp system/senha full=y file=/tmp/exp_pipe log=/backup/expfull.log # aqui o export vai jogar as informacoes para o exp_pipe onde o gzip que está em segundo plano esperando estas para compactar.

Não há necessidade de matar o gzip pois ele fica em segundo plano, no momento que termina o export o gzip finaliza o export e ai está o seu export de 20Gb já saiu compactado em 4Gb.
Ok pode perder um pouco de performace pois será dois processos de arquivos no servidor mas nao será tao problemático em questão de espaco.

E em relação a importar esse gzip, nao há necessidade de descompactar e dai fazer o import, vou colocar somente o código e dai com a explicação anterior já irão induzir o que ele está fazendo.

[oracle@localhost oracle] mknod /tmp/imp_pipe p
[oracle@localhost oracle] gzip -d < /backup/expfull.dmp.gz > /tmp/exp_pipe &
[oracle@localhost oracle] imp system/senha full=y file=/tmp/exp_pipe log=/backup/impfull.log fromuser=deUsuario touser=paraUsuario

Obs.: O ideal depois de compactar usando esse recurso se certificar que o arquivo está ok, como foi usado o gzip posso recomendar o seguinte comando:
gunzip -t /backup/expfull.dmp.gz ; RC=$?
if test ${RC} -ne 0
then
# aqui vc fazer um comando mail para enviar um email para o DBA dizendo que o backup falhou
fim